quinta-feira, 25 de julho de 2013

Psoríase, como tratar na esfera psicológica?

A psoríase, doença dermatológica que envolve grandes prejuízos nos aspectos sociais, físicos e ambientais, acarretando um comprometimento na qualidade de vida. Ao longo dos anos, o estudo da psoríase tem se intensificado e esclarecido aspectos importantes no mecanismo da doença e de novas formas de tratamento. De uma doença de pele, a psoríase hoje é  considerada uma doença sistêmica, inflamatória e mediada pelo sistema imunológico, onde há base genética.A psoríase é uma doença de pele crônica que acarreta um sofrimento constante, tanto no aspecto físico (feridas, manchas e outros) e sociais (preconceito, dificuldade de relacionamentos).



Fenômenos emocionais são frequentemente associados ao aparecimento desta doença. A psoríase está incluída no grupo das erupções papuloescamosas, caracterizadas pela presença de pápulas e escamas superficiais. Essas erupções são responsáveis por grande número de casos e evoluem em episódios separados, com períodos de latência inconstantes, ao acaso e com momentos de melhora total, com desaparecimento das lesões. (Cohen, 2000). 
O que se sabe com relação aos aspectos emocionais é que a ansiedade, a instabilidade emocioinal, a inseguraça, a presença de disturbios familiares, a inibição da agressividade e a depressão são frenquentemnte associados à piora das lesões. (Preto, 2001). Outro fator de piora é a intensa estigmatização que os portadores da psoríase sofrem, pois devido ao desconhecimento da população em geral, a doença é considarada contagiosa. Isso causa problemas com autoestima, isolamento social e rejeição. Como um círculo patológico, a pessoa portadora de psoríase se angustia e deprime diante da expericencia de estigmatização, o que acarreta em piora do quadro e mais estigmatização. Por esse motivo é que o trabalho psicoterapeutico para pessoas com a doença se torna fundamental. 
Dentre as técnicas da Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) para o tratamento da Psoríase, podemos destacar:

  • Treino do controle do estresse
  • Relaxamento
  • Reestruturação cognitiva
Treino de controle do estresse: O estresse é um estado que ocorre quando a pessoa se depara com eventos que colocam em perigo seu bem-estar físico ou psicológico. As tentativas para a adaptação à presença contínua de um fator estressor podem esgotar os recursos do corpo e torná-lo mais vulnerável à doença.

O estresse excessivo promove desgaste do organismo e aumenta a vulnerabilidade às doenças, tendo relação com seu aparecimento ou agravamento.No paciente com psoríase, o Treino do Controle do Estresse tem como objetivo a análise funcional dos estressores através da avaliação objetivo de quatro pilares no cotrole do estresse: relaxamento, alimentação, exercícios físicos a a modificação dos pensamentos (esfera cognitiva).
Relaxamento: o relaxamento é uma técnica altamente eficaz para a redução da ansiedade. Uma técnica específica é o Relaxamento Muscular Progressivo de Jacobson (que já falamos aqui no blog)
Reestruturação cognitiva: Se observa que portadores de psoríase, mais que outros com doenças de pele, sentem-se desprezíveis, sujos e intocáveis. Temem ser isolados, rejeitados e apresentam fantasias de abandono. Sentem a exclusão como falta de reconhecimento, no sentido da aceitação de sua identidade, como a rejeição que os coloca em uma classe, casta ou condição inferior; sentem-se possuidores de uma identidade repugnante e sofrem frente a uma sociedade que estabelece padrões ideais de beleza e de adequação. O problema da pele acaba favorecendo sensações de discriminação, inadequação e insatisfação quanto à aparência física. A reestruturação cognitiva tem como objetivo avaliar as crenças disfuncionais reciclando as por cognições (crenças, pensamentos e ideias) mais racionais. Desta forma, a terapia cognitivo-comportamental tradicional implicitamente promove mudanças amplas na relação que a pessoa mantém com seus pensamentos. Como resultado de repetidamente identificar pensamentos, crenças e distorções e tomar uma atitude crítica em relação a eles, a pessoa consegue realizar uma mudança geral em sua perspectiva para com os eventos cognitivos. 
Finalmente se percebe que, além das características clínicas da psoríase, as condições psicológicas e satisfação quanto à aparência física são fatores que interferem no impacto da doença sobre a qualidade de vida. Avaliar e buscar tratamento destas condições psicológicas são fundamentais para o tratamento da doença. 
Procure ajuda!

Referências Bibliográficas:

Mingorance, Loureiro, Okino & Foss, Pacientes com psoríase: adaptação psicossocial e característica de personalidade, Medicina Ribeirão Preto, 2001.
Silva & Torrezan. Psoríase e sua relação com aspectos psicológicos,stress e eventos da vida, Rev. Estudos da Psicologia (Campinas), nr 24, vol.2, 2007





2 comentários: